Comemorado no dia 24 de julho, o Dia Internacional do Autocuidado reforça a importância de cuidar de forma responsável da própria saúde, 24 horas por dia, sete dias por semana. Em tempos de Covid-19, nunca foi tão importante discutir como hábitos e atitudes individuais atuam na preservação da saúde

O autocuidado é uma prática estimulada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que diz respeito a uma atitude ativa e responsável em relação à qualidade de vida. Não basta tratar as enfermidades.
É preciso buscar a prevenção, adotando hábitos como boa nutrição e atividades físicas.

Os pilares do autocuidado:
cuide para que todos façam parte da rotina

1 – Informe-se sobre saúde
Busque fontes confiáveis para ler e converse com médicos para tomar boas decisões e desenvolver noções de cuidados com a saúde física e mental.

2 – Conheça a si mesmo
Faça autoexames com frequência para conhecer o seu corpo e dê atenção aos sinais do organismo. Caso perceba alterações, converse com seu médico.

3 – Pratique uma atividade física
Deixar o sedentarismo de lado é importante para cuidar do corpo e da mente, melhorar o funcionamento do organismo e prevenir doenças.

4 – Tenha uma alimentação saudável
Comidas naturais e ricas em nutrientes munem o corpo de vitaminas e elementos necessários para a manutenção da saúde e proporcionam bem-estar.

5 – Evite riscos para a saúde
Cigarros, bebidas alcoólicas em excesso e alimentos industrializados devem ser evitados na rotina de quem deseja ter plenas condições físicas e mentais.

6 – Tenha bons hábitos de higiene
Lavar as mãos frequentemente, fazer a higiene bucal após as refeições e trocar as escovas a cada dois meses devem fazer parte da rotina.

7 – Use produtos de saúde de forma responsável
Remédios tarjados só podem ser consumidos com indicação de um profissional prescritor. Já os medicamentos isentos de prescrição, aqueles indicados para tratar males como dor de cabeça, resfriado e má digestão, têm acesso facilitado para uso de acordo com as orientações da bula, seguindo sempre a conhecida orientação: “se os sintomas persistirem, um médico deve ser procurado”.

Fonte: www.abimip.org.br/
www.exame.com


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *